X

Uma tarde de palhaçadas com sérias lições


Em 16/06/2009 às 11h49

A humanização e o trabalho em equipe foram temas de uma irreverente palestra com o artista Marcos Casuo, ou o Clown Casuo, do espetáculo Alegria do Cirque Du Soleil. O salão nobre da Faminas recebeu cerca de quinhentas pessoas de toda a região para o evento, que além incentivar práticas de humanização, levou a experiência do trabalho em equipe de Casuo em uma das maiores companhias de entretenimento do mundo.

Incentivar equipes de alto desempenho e humanizar o atendimento pelo SUS; estas foram as principais metas do evento organizado pelo Hospital do Câncer de Muriaé, que reuniu representantes das secretarias de saúde dos 150 municípios que atende, além de equipes de hospitais da cidade e de toda a região. A interação entre o público e o artista aconteceu o tempo todo, graças à maneira como foi conduzida da palestra.

Os conceitos do trabalho em equipe foram desenvolvidos através de um ambiente descontraído que misturava a dinâmica da competição com a união de equipes divididas pelo próprio Casuo.

O diferencial da palestra ficou por conta da irreverência do artista e dos números circenses apresentados durante a tarde de terça-feira (09). Como aperitivo, uma apresentação de Mandala e outra de bike trial, com um dos integrantes do Universo Casuo, o espetáculo próprio que Marcos Casuo desenvolveu depois de deixar o Cirque e retornar ao Brasil.

Sobre o tema da palestra de Muriaé Marcos Casuo deixou um testemunho pessoal:

- Eu acreditei no meu sonhar. Eu digo para as pessoas, sonhe colorido, porque as cores são alegria e a pessoa fica motivada, e motivada ela consegue conquistar o mundo. Eu sou um eterno sonhador, quando as pessoas me aplaudem, é como se fosse um beijo; como se elas tivessem beijando a minha alma – ressaltou o artista.

O diretor administrativo do Hospital do Câncer de Muriaé, Sérgio Henriques destacou a importância de se abordar temas como este e agradeceu o artista.

- Hoje podemos aprender a vivência de trabalho em equipe, que é importantíssimo no desempenho das atividades de qualquer instituição de saúde. Temos mesmo é que agradecer ao Casuo, pois deixou suas atividades para vir aqui ministrar esta palestra gratuitamente – lembrou Sérgio.

Após a palestra o palhaço que alegrou multidões no Cirque Du Soleil ainda promoveu um workshop com grupos de humanização e voluntários, onde as pessoas aprenderam técnicas utilizadas por ele em seus números. O ponto alto do workshop foi quando Casuo ensinou como pintar o rosto para apresentações e a importância disso no trabalho com pacientes.

Todo o trabalho realizado em Muriaé pelo artista foi voluntário, assim como acontece em várias instituições que visita. Segundo Casuo um dos motivos decisivos para a sua saída do Cirque foi a intenção de desenvolver trabalhos desse tipo pelo país, além, é claro, de formar o seu próprio espetáculo.


Compartilhe