www.fcv.org.br

Artigos

17/05/2017 - 09h17m - Atualizado em 17/05/2017 - 09h29m

Versão para impressão
Enviar por e-mail
O Hospital do Câncer de Muriaé da Fundação Cristiano Varella está inovando mais uma vez e ampliando o setor de laboratório da instituição. O Laboratório de Biologia Molecular já está montado e na reta final de validação no hospital. O objetivo da novidade é oferecer diagnósticos genéticos e moleculares de precisão, importantes nas etapas de prevenção, rastreamento e tratamento do câncer. Fruto de uma necessidade regional, na qual há escassez de serviços de diagnóstico molecular, este setor permitirá com que a população tenha acesso a variados testes genéticos relacionados ao câncer.

O setor de Biologia Molecular oferecerá, em um primeiro momento, exames genéticos voltados para as Leucemias e Câncer de Mama e Ovário. O fácil acesso aos testes genéticos permite a determinação do diagnóstico de forma precisa e uma rápida tomada de decisão do corpo clínico para o tratamento do câncer em busca de melhor qualidade de vida para o paciente. "Além disso, o teste genético pode proporcionar o aconselhamento genético para casos de doenças hereditárias, quando se trata de indivíduos com predisposição ao câncer familial", ressaltou Luciana Agostinho, biomédica e supervisora do Laboratório de Biologia Molecular da Fundação Cristiano Varella.  

De acordo com os responsáveis pelo novo setor, a previsão é de que seu funcionamento comece no próximo mês de julho para exames de Leucemias. Já para diagnósticos de câncer de Mama e de Ovário, a previsão de começar a funcionar é até o final deste ano. 

O Laboratório de Biologia Molecular da Fundação Cristiano Varella foi montado com recursos vindos do PRONON – Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica. 

Leucemias

Segundo estimativas do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) de 2016, a incidência de leucemias em mulheres no estado Minas Gerais foi de 3,91/100.000 indivíduos e em homens de 5,38/100.000 indivíduos. Durante mais de uma década, análises citogenéticas tem sido utilizadas como método de diagnóstico e monitoramento do tratamento quimioterápico em pacientes com Leucemias. Entretanto, esse procedimento necessita de aspiração da medula, o que é invasivo ao paciente e frequentemente doloroso, por isso, o teste realizado com sangue periférico (que é feito em laboratório de Biologia Molecular) provoca menor desconforto ao paciente na coleta. 

Câncer de Mama e Ovário

O câncer de mama é um dos maiores problemas de saúde no mundo, aproximadamente 1,67 milhões de novos casos foram diagnosticados em 2012, o que representa 25% de todos os tipos de câncer. A estimativa de 2016, conforme o INCA, foi de 48,2/100.000 casos novos de câncer de mama e de 5,4/100.000 casos novos de ovário no estado de Minas Gerais. As regiões Sul e Sudeste do Brasil possuem as taxas de incidência mais altas com 70,9 e 71,9/100.000, respectivamente.