www.fcv.org.br

Artigos

Responsabilidade Socioambiental

25/03/2014 - 11h23m - Atualizado em 04/11/2016 - 09h49m

Versão para impressão
Enviar por e-mail
A Responsabilidade Sócio- Ambiental para a Fundação Cristiano Varella é uma prática além do cumprimento de suas obrigações legais, objetivando o exercício da cidadania, o compromisso com o social e a vivência de princípios e valores defendidos pela Instituição juntamente com seus colaboradores e comunidade. Fundamentada no conceito de sustentabilidade, atua como referência em ecoeficiência e responsabilidade social corporativa; possui um relacionamento ético e transparente com todo público com qual se relaciona. Sempre estabelece metas sustentáveis que visam a preservação de recursos ambientais e culturais. Assim contribui com a integridade do planeta para gerações futuras.                                   
A Instituição executa inúmeras ações sustentáveis, que lhe garantiram a conquista do prêmio "Sustentabilidade" concedido pela MFC Consultoria e Educação Corporativa, obtendo 100% dos pontos, como a primeira empresa a adquirir a pontuação máxima na premiação, tudo isso, resultado da busca pelo equilíbrio fundamentado no tripé da sustentabilidade, o qual envolve aspectos: ambientais, socioculturais e econômicos.

A Fundação Cristiano Varella é uma empresa que tem a sustentabilidade dentro de seu planejamento estratégico, buscando sempre o "desenvolvimento sustentável", realizando suas ações socioambientais, que garantem o melhor atendimento a comunidade e o compromisso com a preservação do meio ambiente.






30/03/2011 - 09h55m - Atualizado em 28/09/2011 - 08h18m

Versão para impressão
Enviar por e-mail

Atrelado ao Programa de Educação Ambiental Permanente o Hospital do Câncer de Muriaé da Fundação Cristiano Varella está em processo de implantação do Recicla Mais. Trata-se de um programa de reciclagem/reutilização, que tem por finalidade garantir a destinação ambientalmente adequada dos resíduos, conforme está previsto na lei.
Além disso, o projeto pretende sensibilizar os pacientes e acompanhantes para a separação de resíduos recicláveis e torná-los passíveis de reinserção no ciclo produtivo e diminuir, consequentemente, o volume de resíduos enviado ao aterro controlado.
Para que o objetivo seja alcançado, os acompanhantes são instruídos semanalmente nas reuniões das enfermarias clínicas/cirúrgicas, ambulatório de quimioterapia e "in loco", para a correta segregação de resíduos recicláveis. Na ocasião, eles recebem uma sacola especifica para a coleta e também um folder explicativo. Já os colaboradores do Serviço de Higienização e Limpeza (SHL) recolherão as sacolas periodicamente (assim que atingirem 2/3 do preenchimento) e as encaminharão para o depósito externo de resíduos recicláveis da Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN).






30/03/2011 - 07h58m

Versão para impressão
Enviar por e-mail

Atualmente é impossível desassociar desenvolvimento da sustentabilidade. E para o Hospital do Câncer de Muriaé da Fundação Cristiano Varella esse princípio é fundamental. A Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) estabelece a obrigatoriedade de um Programa de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS), que na instituição, se encontra implantado desde 2005, obedecendo as demais exigências técnicas previstas na legislação, incluindo a capacitação de colaboradores.
A FCV é uma entidade filantrópica e constitui um Centro de Alta Complexidade em Oncologia (CACON) prestando assistência integrada neste campo e consequentemente, gerando todas as classes de resíduos previstas na lei, incluindo os radioativos e quimioterápicos.
A questão dos resíduos de Estabelecimentos de Assistência à Saúde é objeto de preocupação pela complexidade do problema que envolve questões éticas e técnicas que impactam diretamente a saúde e o meio ambiente. Por isso, a capacitação dos colaboradores para as diferentes etapas do manejo destes resíduos faz necessária uma Educação Ambiental Permanente (EAP) preparando-os para uma ação e reflexão sensível diante dos riscos ambientais aos quais estão expostos.
A prática dessas ações tornou necessária uma revisão aos treinamentos do PGRSS, que estabeleceu novas diretrizes à gestão: uma capacitação para ideal manejo, redução, reutilização, reciclagem e, por fim a destinação ambientalmente adequada; diferencia resíduos de rejeitos e; estabelece a logística reversa, que modifica toda a ótica de aquisição de insumos, co-responsabilizando gerador e fornecedor.
Para a implantação do PGRSS atualizado foi elaborado um EAP, interdisciplinar, embasado na complexidade e na construção de um "saber ambiental", que inclui todos os colaboradores da instituição, desde seu ingresso até treinamentos setoriais e capacitação de gestores. O programa também é estendido aos acompanhantes de pacientes, através de folders explicativos e reuniões de acolhimento semanais.
O objetivo principal da EAP é preparar para segregação, manejo e destinação de resíduos do Serviço de Higienização e Limpeza (SHL), minimizando riscos e garantindo a saúde do trabalhador.Foram estabelecidas rotinas de inspeção e visitas técnicas setoriais, realizando trocas e disponibilizando lixeiras compatíveis às necessidades dos setores e orientação sobre o descarte. A averiguação de não conformidades no descarte/manejo ou acidentes de trabalho recebem tratamento através de ferramentas da qualidade.
Atrelado ao programa de Educação Ambiental Permanente se encontra o Programa de reciclagem/reutilização, que tem por finalidade firmar diferentes formas de parcerias no município, em outras localidades e Estados, no sentido de garantir a destinação ambientalmente adequada prevista na lei.
O Programa de Educação Ambiental Permanente do Hospital do Câncer de Muriaé (HCM), da FCV, como processo permanece dinâmico, entretanto por estar em todos os processos gera ganhos ambientais visíveis.  A evolução do programa certamente possibilitará a uma ação cidadã crítica entre os colaboradores e a criação de uma relação cada vez mais sustentável com o meio ambiente.

 






29/03/2011 - 10h47m - Atualizado em 05/04/2011 - 07h50m

Versão para impressão
Enviar por e-mail

O projeto ambiental "Muda da vida" é uma idéia que tem dado muitos frutos. Desde dezembro de 2010 o Hospital do Câncer de Muriaé da Fundação Cristiano Varella, implantou uma estratégia de distribuição de mudas e conscientização ambiental. Em parceria com a CBA Mineradora Votorantim Metais de Miraí, todo paciente que recebe alta no tratamento em quimioterapia ganha uma muda de árvore frutífera, doada pela empresa parceira. O objetivo é criar um novo conceito junto aos pacientes ampliando a sensibilização para as questões ambientais, com vista na formação de uma sociedade mais consciente.
Além disso, o programa também integra outra iniciativa, o "Doe palavras". Juntamente com a muda, o paciente recebe uma mensagem de apoio doada por um colaborador do HCM, e esse colaborador, também ganha uma muda. Ou seja, o plantio será em dobro.
Além de colaboradores e pacientes, quem principalmente ganha é o meio ambiente. Desde dezembro até abril deste ano, cerca de 600 mudas já foram distribuídas. E a FCV ainda plantou mais 200 mudas em torno do lago da instituição. Ainda nesse mês o projeto será ampliado com o plantio de árvores nativas no entorno da FCV, como por exemplo, Ipês, Pau Brasil, Sô Brasil, entre outras.
Muito além de conscientizar, apoiar e incentivar, a Fundação Cristiano Varella também se preocupa com a forma em que essa muda será plantada. Juntamente com as sementes há um cartão com orientações sobre a forma adequada do plantio, informações sobre as propriedades nutricionais e medicinais da planta.