www.fcv.org.br

Artigos

Imprensa

20/02/2017 - 14h22m - Atualizado em 20/02/2017 - 14h39m

Versão para impressão
Enviar por e-mail
No último dia 17 de fevereiro, foi inaugurado no Memorial um espaço dedicado ao idealizador da Fundação Cristiano Varella. O cenário, abriga a "Estátua de Cera" de Lael Varella, ilustrado pela linha do tempo do empresário e político, desde o seu nascimento em 1939, passando pela década de setenta, onde firma-se como empresário, as décadas de oitenta a 2014, como político consagrado pelo Congresso Nacional e a construção da Fundação Cristiano Varella. O local está aberto ao público como as demais exposições inauguradas.

Na Pinacoteca, a exposição" Teatro -  a magia das artes cênicas", onde são apresentados de forma simples e didática um pouco da riqueza cultural dos gêneros teatrais de maior influência em território brasileiro.

No "Espaço do artista", uma nova proposta deste centro de cultura e artes, localizado em frente ao Mausoléu, a exposição "SANTO OFÍCIO", nove obras do artista Yure Mendes. Yure é mineiro e passou a ser reconhecido nas artes plásticas em 1999 com alegorias carnavalescas, em Juiz de Fora, de onde vieram suas primeiras premiações. Sempre tendo como matéria prima o ferro, Yure tira do material pesado a leveza e a beleza de obras encontradas em suas exposições.  O artista doou oito, das nove obras, que estão em exposição, para que sejam destinadas a arrecadação de recursos para os projetos sociais desenvolvidos pela Fundação. Uma delas, "Nossa Senhora Aparecida", teve o manto pintado por algumas das crianças internadas no Hospital do Câncer de Muriaé e por isto, ganhou atenção especial do público que compareceu à inauguração.

No momento também foi apresentada, a "Bênção Apostólica" concedida pelo Santo Papa Francisco à família Lael Varella, que passa agora, a pertencer ao acervo do Memorial.







Embalagens de fast-food fazem mal à saúde

O estudo foi publicado também no site do INCA

16/02/2017 - 09h33m - Atualizado em 17/02/2017 - 08h24m

Versão para impressão
Enviar por e-mail
 Um estudo do Instituto Silent Spring (EUA) indica mais um motivo para que as pessoas mantenham distância dos lanches industrializados. As embalagens à prova de gordura usadas em alimentos como pizzas e hambúrgueres podem conter substâncias químicas fluoradas potencialmente prejudiciais à saúde.
Os levantamento analisou mais de 400 embalagens de papel e cartolina de 27 cadeias de fast- food americanas. Os compostos usados em sua fabricação, e que entram em contato com o alimento, podem modificar o DNA e os processos de replicação celular. Os consumidores de fast-food estão sujeitos a complicações como puberdade precoce, distúrbios de fertilidade, doenças da tireoide, obesidade, câncer e diabetes.

— Essas substâncias químicas têm sido associadas a inúmeros problemas de saúde, por isso é preocupante que as pessoas estejam potencialmente expostas a elas em alimentos — alerta a química Laurel Schnaider, autora principal do estudo, publicado esta semana na revista "Environmental Science & Technology Letters".

Crianças são mais vulneráveis

Professora de pós-graduação de Endocrinologia da PUC-Rio, Isabela Bussade revela que os compostos fluorados podem provocar efeitos mais graves nas crianças — justamente o principal público-alvo da propaganda dos fast-foods.

Publicidade 

— São duas condições desfavoráveis: elas são mais suscetíveis ao consumo e ainda têm o sistema imunológico em formação — adverte. — As crianças não chegaram ao seu equilíbrio hormonal e metabólico. Esta é a faixa etária em que mais aumenta a incidência de sobrepeso e obesidade, que está diretamente associada ao consumo de alimentos industrializados.

A nutricionista Milene Tiellet, especialista em segurança alimentar, avalia que o estudo mostra uma maneira danosa de preservação de alimentos encontrada pela indústria, cujas consequências ainda não são totalmente conhecidas.

— A exposição dos alimentos a substâncias tóxicas é mais uma tática prejudicial adotada pelos grandes fabricantes para otimizar sua produção — condena Milene, que é diretora da Alimentar Consultoria. — É, de certa forma, o mesmo que ocorre com a gordura trans, uma manobra para criar uma comida mais crocante. Então, o consumidor enfrenta riscos tanto na embalagem quanto na ingestão do alimento.

Em seu estudo, Laurel aplicou uma nova técnica, a emissão de raios gama, para identificar os compostos fluorados. Quase metade das embalagens de papelão continha flúor. Os embrulhos usados para sobremesas e pão registraram maior quantidade de substâncias tóxicas.

Os compostos fluorados encontrados na embalagem "sobrevivem" ao momento em que ela é jogada fora. A equipe de Laurel encontrou estas substâncias em aterros sanitários e ressalta que elas podem migrar para águas subterrâneas, com impacto potencial ao abastecimento de água potável.

Fabricação fiscalizada

Um dos compostos mais prejudiciais à saúde usado em embalagens, conhecido como C8, foi retirado do mercado americano após um exame conduzido pela Administração Federal de Alimentos e Medicamentos, a FDA.

— Ainda assim, muitos compostos adotados para sua substituição também não têm se mostrado seguros para a saúde humana — lamenta Arlene Brum, fundadora do Instituto Green Science Policy. — É por isso que precisamos reduzir o uso de todas as classes de compostos altamente fluorados. Existem alternativas.

De acordo com Isabela, o papel e a cartolina que embalam os lanches podem continuar no mercado, desde que sua fabricação seja rigorosamente fiscalizada:

— Podemos investir em embalagens sem compostos tóxicos. Provavelmente este processo comprometerá o efeito estético, fazendo com que o lanche pareça menos atraente, e a durabilidade do alimento também pode ser reduzida — pondera. — Mas há um grande efeito positivo: não teremos uma comida contaminada.


Fonte: O Globo (2/2/2017)





14/02/2017 - 15h53m

Versão para impressão
Enviar por e-mail
O Hospital do Câncer de Muriaé da Fundação Cristiano Varella busca fazer dessa afirmação parte de sua filosofia, investindo em um setor específico para Prevenção desde 2005. E iniciando suas atividades no ano de 2017, a Campanha de Prevenção visitou a cidade de Santa Rita do Ibitipoca a 280 km de Muriaé nos dias 06 a 10 de fevereiro realizando o que fazem de melhor, ajudando a salvar vidas. E durante a semana conseguiram realizar 240 exames de mamografias, 228 exames de PSA e 120 exames de Papanicolau (preventivo do colo de útero).

A Campanha Móvel de Diagnóstico Precoce e Controle do Câncer viaja o estado há 11 anos levando aos moradores de centenas de cidades uma oportunidade, muitas vezes única, de prevenção primária e secundária através dos exames de PSA, mamografia e Papanicolau.

Em 2016 foram cerca de 78 cidades visitadas em todas as regiões de Minas Gerais e mais de 19.000 exames realizados.
As Campanhas só são possíveis através de parcerias entre as Secretarias Municipais de Saúde e suas Prefeituras, que entram em contato com a Fundação e agendam as visitas.
Essas ações nos municípios são importantes e precisam ser ainda mais divulgadas, porque detectar o câncer em sua fase inicial aumenta consideravelmente as chances de cura.

A Campanha de Prevenção é formada, atualmente, por duas unidades móveis de prevenção, um ônibus consultório e uma carreta com mamógrafo e além de dois carros que viajam em conjunto, ou separadamente, levando enfermeiros, técnicos de enfermagem, técnicos de Radiologia e auxiliares de laboratório. 

Essas campanhas só são possíveis graças a convênios e parcerias estabelecidas através do PRONON, uma lei de incentivo fiscal criada pelo Ministério da Saúde, que incentiva grandes empresas a investirem na área da saúde. Para o ano de 2017, a programação da Campanha de Prevenção já conta com mais de 40 cidades agendadas que serão beneficiadas com os recursos do PRONON.
As empresas que acreditaram na proposta da Campanha de Rastreamento, Diagnóstico Precoce e Prevenção no ano de 2016 foram a Cemig, o Itaú, Scania e a Anglo Gold.







08/02/2017 - 08h10m - Atualizado em 08/02/2017 - 08h11m

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Aprovados no Programa de Aprimoramento de Fisioterapia em Oncologia 2017

-Aline Silva Guizilini
-Cristiane Aparecida de Faria
-Gustavo Gomes Ribeiro
-Kássia Elisa Vardiero
-Nathalia Caroline Lourenço

Obs.: O não comparecimento do candidato até o último dia previsto para a realização da matrícula caracterizará a sua desistência do processo seletivo, ficando a instituição autorizada para proceder com nova convocação.

Matrícula: 13 a 15/02/2017    
Valor: R$150,00 + mensalidade R$ 400,00 por 12 meses.

Local: Av. Cristiano Ferreira Varella, 555. Fundação Cristiano Varella, 1º andar do bloco II no Centro de estudos (tel: (32) 3729-7046).
Documentos p/ Matrícula: cópia simples do RG, CPF, CREFITO-4, comprovante de residência, diploma ou declaração de conclusão da graduação em fisioterapia (ou de vínculo ao último ano).*

*Os certificados do aprimoramento só serão emitidos após a apresentação do Diploma da Graduação.

Início: 06/03/2017





Nem todo herói usa capa

04 de fevereiro - Dia Mundial Contra o Câncer

03/02/2017 - 08h00m - Atualizado em 03/02/2017 - 08h27m

Versão para impressão
Enviar por e-mail

As vezes os heróis estão nos lugares que a gente menos espera, afinal, quem imaginaria que na pequena cidade de Vieiras, há 40km de Muriaé, nasceria uma super-heroína? Pois é isso que Bianca Paloma Belinato, de 19 anos, é, uma heroína!

A jovem, filha de uma dona de casa e um lavrador, começou a superar desafios desde muito nova, quando aos 5 anos foi diagnosticada com câncer no rim e encaminhada para o Hospital do Câncer de Muriaé da Fundação Cristiano Varella.

A instituição, que também estava apenas começando, recebeu sua primeira paciente infantil e com a dedicação dos colaboradores e médicos cuidaram para que Bianca fosse recebida com carinho e tratamento de qualidade.

O choque de saber que sua filha estava com câncer não abalou a determinação da família que, com a força de vontade inabalável de Bianca, venceu essa batalha apesar dos sustos pelo caminho.

Mas o período novamente em casa foi curto e a menina, que havia acabado de passar 9 meses em tratamento, teve que voltar. Um novo tumor, dessa vez no pulmão, foi diagnosticado em um exame de rotina.

A batalha recomeçou, mas Bianca, já querida por todos no Hospital devido ao seu bom humor e otimismo, não se deixou abalar! Com a confiança das crianças, ela afirmava que não ia desistir. E não desistiu! Depois de mais 6 meses de tratamento, a super-menina saiu vitoriosa novamente e derrotou seu inimigo.

Quando todos achavam que estava tudo bem e já fazia quase 2 anos que Bianca estava saudável, sua família foi mais uma vez surpreendida com a terrível notícia de que dessa vez era seu outro pulmão que apresentava a doença.

Sem se deixar abalar, Bianca recomeçou mais uma vez sua batalha e seguiu sendo um exemplo para colaboradores, médicos e outros pacientes, sempre com um sorriso no rosto e a certeza de que ficaria bem, ela lutou por mais 6 meses e, mais uma vez, venceu!

E dessa vez o câncer foi derrotado e a pequena que passou boa parte de sua infância lutando contra uma doença terrível, cresceu forte, linda e saudável, como a heroína que se tornou!

Agora, aos 19 anos, Bianca se aposentou da vida de super-heróina e só quer ser pedagoga. As visitas ao Hospital para exames de rotina continuam seguindo sem novos sustos, para alegria de todos, especialmente de sua mãe, dona Márcia, de quem não desgruda!

Para ela, a lição que gostaria de deixar aos pacientes é que com força e fé todos podem superar essa doença, que não pode se entregar, tem que ser forte e não desistir!






17/01/2017 - 15h21m

Versão para impressão
Enviar por e-mail

O Hospital do Câncer de Muriaé da Fundação Cristiano Varella renovou, em dezembro de 2016, sua Acreditação em Excelência pela Organização Nacional de Acreditação, a ONA, entidade não governamental e sem fins lucrativos reconhecida pelo Ministério da Saúde.

Durante o período da visita para renovação do certificado, diversas áreas assistenciais e administrativas passaram pela auditoria dos representantes da ONA com objetivo de promover um processo constante de avaliação e aprimoramento nos serviços de saúde e, dessa forma, garantir a qualidade da assistência oferecida pela Fundação Cristiano Varella.

Esta certificação é uma forma de reconhecer a cultura organizacional de melhoria contínua, especialmente quanto a segurança do paciente.

Essa avaliação é muito importante para que a instituição tenha ciência dos caminhos certos que estão sendo seguidos e pontos de melhoria em que precisa se esforçar mais.

Alguns dos pontos fortes destacados pelos auditores são os programas de Prevenção e Diagnóstico Precoce do câncer em outros municípios mineiros e a utilização do Centro de Simulação Realística para programação educativa junto aos agentes comunitários e estudantes e, claro, a agilidade do atendimento ao paciente oncológico em todas as etapas do tratamento.

A renovação da Acreditação em Excelência ONA III é válida até 2019, quando a instituição passará por novo processo para revalidação dos processos.






OncoRede: ANS seleciona 42 projetos para qualificar atenção ao câncer

Iniciativas visam implantar um novo modelo de cuidado em oncologia que beneficiará pacientes de planos de saúde e poderá ser replicado

13/01/2017 - 07h26m

Versão para impressão
Enviar por e-mail

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) selecionou os projetos que farão parte do OncoRede, iniciativa que propõe a construção de um novo modelo de organização e cuidado aos pacientes com câncer e a Fundação Cristiano Varella foi selecionada com um projeto.

A reguladora recebeu 42 propostas de adesão de operadoras de planos de saúde e prestadores de serviços - hospitais, clínicas e laboratórios. Em fevereiro, essas instituições começarão a desenvolver os projetos, com acompanhamento e monitoria da ANS. Os resultados serão mensurados, e os modelos que se mostrarem viáveis poderão ser replicados para o conjunto do setor suplementar de saúde, de forma a estimular mudanças sustentáveis.

O OncoRede estabelece um conjunto de ações integradas para qualificar o cuidado oncológico. As medidas visam estimular a adoção de boas práticas na atenção ambulatorial e hospitalar e promover melhorias nos indicadores de qualidade da atenção ao câncer, além de possibilitar um diagnóstico mais preciso da assistência. Entre as medidas previstas estão a centralização do cuidado no paciente, a adoção de laudo integrado de exames, a introdução do assistente do cuidado, responsável por conduzir o paciente ao longo do percurso assistencial e a busca ativa no momento do envio do resultado de exames.

"O grande número de adesões e a qualidade dos projetos apresentados demonstra a urgência e a necessidade de implementação de experiências baseadas em modelos mais integrativos de cuidado na atenção oncológica", avalia a diretora de Desenvolvimento Setorial da ANS, Martha Oliveira. "A fragmentação da trajetória de cuidado do paciente em diferentes prestadores de serviços de saúde que não se comunicam, a falta de continuidade do fluxo do paciente na rede assistencial e a ausência de coordenação do cuidado prestado nos diferentes níveis de complexidade da rede são problemas que afetam diretamente a efetividade da atenção aos pacientes com câncer no Brasil. O projeto OncoRede visa reorganizar a assistência e corrigir essas falhas, facilitado o tratamento e melhorando os resultados", explica a diretora.

Pilares do novo modelo de atenção

o   Centralização do cuidado no paciente, invertendo a lógica do sistema hoje centrado no volume de utilização de tecnologias;

o   Informação correta, completa e em linguagem acessível para os pacientes e registro de saúde que facilite a continuidade do cuidado, possibilitando o compartilhamento da informação por todos os profissionais que realizam o cuidado e com o próprio paciente;

o   Screening e diagnóstico precoce, porém pautados pela qualidade e em protocolos efetivos;

o   Laudo integrado de exames para um melhor direcionamento no momento do diagnóstico que facilite e torne mais efetivo o tratamento;

o   Busca ativa no momento do envio do resultado de exames e garantia de que o resultado dos exames críticos chegue ao paciente e a seu médico solicitante;

o   Estabelecimento de times multiprofissionais e de grupos de decisão para a melhor definição de linhas de cuidado e uniformização de decisões;

o   Articulação da rede de estabelecimentos que irão, em algum momento, cuidar do paciente, tanto do ponto de vista de organização dos encaminhamentos quanto das informações e da continuidade da linha de cuidado;

o   Assistente do cuidado, responsável por conduzir o paciente ao longo de todo o percurso assistencial, facilitando e monitorando todos os possíveis pontos de dificuldade;

o   Monitoramento dos resultados através de indicadores que possam demonstrar não só o desempenho do cuidado, mas também retratem possíveis melhorias no caminho assistencial;

o   Indução e estabelecimentos de estruturas de cuidado paliativo e tratamento de suporte, além do debate sobre morte e humanização no fim de vida;

o   Modelos diferenciados de remuneração que possam dar suporte à nova lógica de cuidado;

o   Capacitação e treinamento de profissionais da área da saúde;

o   Debate sobre o Registro de Tumor na Saúde suplementar, visando um melhor planejamento e monitoramento das políticas nessa área.

 

Confira as instituições que tiveram projetos selecionados:

Operadoras

Bradesco Saúde

Cemig Saúde 

Central Nacional Unimed

Fundação Fiat Saúde e Bem Estar

Fundação AFFEMG de Assistência à Saúde

Geap Autogestão em Saúde

Nossa Saúde

São Francisco Saúde 

Sobam – Centro Médico Hospitalar

Sulamérica 

Unimed Belém 

Unimed BH 

Unimed Campo Grande

Unimed Goiânia

Unimed Porto Alegre

Unimed Recife

Unimed São Sebastião do Paraíso

Unimed Teresina 

Prestadores

AC Camargo Câncer Center

Centro de Combate ao Câncer (São Paulo/SP)

Cettro – Centro de Câncer de Brasília

Clínica da Mama (Rio de Janeiro/RJ)

Centro Paulista de Oncologia (São Paulo/SP)

Grupo COI (Rio de Janeiro/RJ)

Hemomed Instituto de Oncologia e Hemetologia (São Paulo/SP)

Hospital Israelita Albert Einstein (São Paulo/SP)

Hospital do Câncer de Muriaé (Muriaé/MG)

Hospital Erasto Gaertner (Curitiba/PR)

Hospital Ernesto Dornelles (Porto Alegre/RS)

Hospital Fundação do Câncer (Rio de Janeiro/RJ)

Hospital Lifecenter (Belo Horizonte/MG)

Hospital Santa Paula (São Paulo/SP)

Hospital Unimed Natal (Natal/RN)

Instituto de Oncologia do Paraná – IOP (Curitiba/PR)

Laboratório de Patologia HE (Rio de Janeiro/RJ)

Núcleo de Oncologia da Bahia (Salvador/BA)

Oncocentro Oncologia Clínica e Medicina Interna de Minas Gerais (Belo Horizonte/MG)

Oncoclínica Copacabana – Oncoclínicas (Rio de Janeiro/RJ)

Oncologia DOR (Rio de Janeiro/RJ)

Oncológica Norte de Minas (Montes Claros/MG)

Pró Care Serviços de Saúde LTDA (Rio de Janeiro/RJ)

Santa Casa de Misericórdia de Maceió (Maceió/AL)

 Fonte: ANS






02/01/2017 - 09h49m

Versão para impressão
Enviar por e-mail
Na última sexta-feira, dia 30, nosso Hospital comemorou os 10 anos de dedicação à instituição de 10 de nossos colaboradores.
O evento, organizado anualmente pela Gestão de Pessoas, tem o objetivo de homenagear e agradecer aos colaboradores pelos 10 anos de profissionalismo e especialmente de amor pelo trabalho realizado em nosso Hospital.